Sejudh desenvolve projetos de proteção e promoção dos direitos humanos e cidadania – [Blog da Solange Pereira]

Projeto Girândola envolve mulheres em situação de vulnerabilidade em ações de empreendedorismo e de conquista da própria autonomiaEm alusão ao Dia Nacional dos Direitos Humanos, celebrado nesta quinta-feira (12), ganham destaque os projetos “Girândola” e “Eu vou envelhecer, e você?”, desenvolvidos pela Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), com o objetivo de proteger, defender e promover os direitos humanos e o exercício da cidadania de individuos em situação de vulnerabilidade.  

A coordenadora de Promoção e Cidadania em defesa dos Direitos Humanos da secretaria, Giselle Borges, explica que entre os públicos atendidos pelo órgão, estão as mulheres, os idosos, os negros, os indígenas, a população LGBTQIA+ e outros que, devido a maior exposição, precisam ter um olhar diferenciado para os seus direitos, com acolhimento, direcionamento e apoio. 

“Atuamos de forma integrada com todos os órgãos do estado na luta pela garantia de direitos e combate a violências. Somos o único órgão do estado que emite qualquer via de documentos oficiais de forma gratuita. As nossas Caravanas Cidadania, que ocorrem em todas as regiões do Pará, serão retomadas no final de agosto e temos programação até dezembro”, explicou a coordenadora. 

Entre as ações desenvolvidas pela Sejudh, estão: emissão de documentos como RG, certidão de nascimento, fotografias, palestras e oficinas sobre a garantia e a promoção de direitos; ações de combate ao trabalho escravo, ao tráfico de individuos, ao feminicídio e outras violências, à homofobia e ao preconceito em todas as suas formas. Acompanhe as ações aqui. 

PROJETO GIRÂNDOLA

Com o foco na qualificação e no incentivo do empreendedorismo de mulheres em situação de vulnerabilidade social, o projeto Girândola, desenvolvido pela Coordenadoria da Mulher da Sejudh, busca trabalhar o protagonismo da mulher no mercado de trabalho. A proposta é atender 100 mulheres em cada municipio alcançado. 

Em julho passado, o Girândola promoveu o Curso de Panificação no municipio de Ananindeua e a dona de casa Maria do Socorro Lima, que está desempregada desde o início da pandemia, participou das duas semanas intensas de aprendizado. 

“O projeto nos acolhe, abre portas e gera mudança de vida, fortalecendo o nosso emocional e nos ajudando a alcançar a nossa independência financeira. Logo depois do curso, comecei a vender broa de lata, torta salgada recheada, que eu faço a própria massa do pão, biscoitinho de cebola, entre outros produtos. Já estou gerando renda e me especializando. Só tenho a agradecer pela oportunidade”, afirmou Maria do Socorro. 

Corte e costura e artesanato também fazem parte da grade dos cursos promovidos pelo Projeto Girândola em vários municipios do Pará

O projeto vem sendo desenvolvido nos municipios de Ananindeua, Bragança, Breves, e a partir deste mês, está previsto para ser lançado no municipio de Castanhal. Em setembro, em Ananindeua, terão início duas turmas: Curso de Corte e Costura e Artesanato de Bordado. Em Breves, estão previstos os cursos de Corte e Costura, Artesanato de Bordado e Design de Sobrancelhas.

O projeto é desenvolvido  com a cooperação das prefeituras, da Fundação ParáPaz, da Procuradoria Especial da Mulher da Alepa, da Faculdade ESMAC, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), da Secretaria Municipal de Assistência Social, da Secretaria de Educação (Seduc) e do Conselho Municipal em Defesa dos Direitos da Mulher. 

“EU VOU ENVELHECER, E VOCÊ?”

Em parceria com a Seduc, o projeto “Eu vou envelhecer, e você?”, realizado pela Gerência de Proteção ao Idoso da Sejudh, é voltado para os alunos do 5º ano das escolas da rede do estado de ensino.

A intenção, de acordo com Antônio Filho, responsável pela Gerência, é conscientizar e sensibilizar jovens para o respeito ao idoso, a partir de palestras educativas, atividades teóricas e lúdicas, dinâmicas e arte. Escolas de Benevides, Marituba e Belém já receberam o projeto, que aborda, especialmente, as seguintes temáticas: Processo de Envelhecimento, Estatuto do Idoso, Violência contra a Pessoa Idosa e Respeito e Valorização do Idoso. 

“Através desse olhar diferenciado, o jovem pode vir a criar uma rede de respeito. Muitas individuos idosas não conhecem seus direitos e a gerência atua para proteger e resgatar direitos, através desse tipo de sensibilização também”, explica. O projeto está suspenso desde o início da pandemia, por conta da suspensão das aulas presenciais. Atualmente, está sendo feita uma análise para a retomada segura das atividades. 

A Sejudh funciona das 8h às 14h, na Rua 28 de setembro, nº 339, entre a avenida Presidente Vargas e travessa Frei Gil, no bairro da Campina, em Belém. 



Por , em 2021-08-12 13:02:00


Todos os direitos reservados do texto e imagens para Fonte agenciapara.com.br



Clique aqui e ver mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero. Clicando agora tuganha mini kit gratuito para imprimir + aula grátis.

Deixe um comentário