Em meio à pandemia, escola de samba de Mogi lamenta quadra vazia às vésperas do carnaval | Mogi das Cruzes e Suzano – [Blog da Solange Pereira]

Barracão lotado, samba no pé e correria para acertar os últimos detalhes para o desfile. A cena se repete todo ano, às vésperas do carnaval. No entanto, em 2021, está sendo diferente.

Por causa da pandemia, as comemorações da folia foram canceladas e quem vive nas quadras, à espera dos desfiles de Mogi das Cruzes, lamenta o vazio e a ausência do público.

  • Maioria dos municípios do Condemat opta por suspender os pontos facultativos do carnaval
  • Sem perspectivas para o carnaval, escolas de samba de Mogi vivem janeiro atípico em meio a pandemia

No lugar das costureiras, da bateria e da comissão de frente, um silêncio. Cenário atípico e triste para quem vive do carnaval, como é o caso do mestre de bateria Diego Santini.

“É uma experiência difícil para quem gosta do samba. Eu já vi essa quadra sem tento. Já vi essa quadra sem paredes. Agora, sem pessoas, é bem complicado”, lamenta.

Desde a infância, antes mesmo de se juntar à escola de samba, Diego frequenta os desfiles. Hoje, aos 34 anos, ele é um dos membros da escola Unidos da Vila Industrial, em Mogi das Cruzes. É a primeira vez que ele vê as coisas desse jeito.

“Há uns cinco anos atrás, quem ia imaginar uma coisa dessas? Complicado. Tipo assim, cara, a gente não viver o que a gente gosta. Tipo, a gente faz isso todo ano. Todo ano a gente faz a mesma coisa, brincar de carnaval”, completa Santini.

Em meio à pandemia, escola de samba de Mogi lamenta quadra vazia às vésperas do carnaval — Foto: Reprodução/TV Diário

Do lado de fora da escola, os carros alegóricos, sempre tão coloridos e cheios de brilho, estão desmontados. A costureira Gilce Guimarães, que há cinco anos atua na escola e está por trás dos belos trajes usados no desfile, lamenta a situação.

Apesar da tristeza de um ano sem carnaval, ela entende o motivo e torce para que, no ano que vem, a coisa seja diferente.

“A gente nasceu com o pé lá dentro, né? Então, a gente está sentindo muito mesmo. Está mexendo emocionalmente, financeiramente. A gente espera que no próximo ano a gente consiga por o carnaval na avenida, né?”

“Se fosse carnaval, você não conseguia nem entrar aqui hoje. O carnaval seria já na terça-feira. É loucura. Corre-corre para terminar”, diz Gilce na sala de costura vazia.

Por , em 2021-02-11 14:29:00


Fonte g1.globo.com



Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero. Clicando agora você ganha mini kit gratuito para imprimir + aula grátis.

Deixe um comentário