Como o Centro Tecnológico do Corpo de Fuzileiros Navais está ajudando no combate a pandemia – Defesa Aérea & Naval – [Blog da Solange Pereira]

Face a pandemia do COVID-19 o CTecCFN iniciou a pesquisa, desenvolvimento e produção de itens de proteção. Esses dispositivos não faziam secção da missiva de serviços do CTecCFN e são descritos a seguir.

Produtos

Face Shield FS-1

Segundo a Silabário de Proteção Respiratória contra Agentes Biológicos para Trabalhadores da Saúde da Sucursal Pátrio de Vigilância Sanitária o doente ou portador, quando fala, tosse ou espirra, dispersa agentes etiológicos de doenças de transmissão aérea. Deste modo, qualquer pessoa pode ser exposta a esses agentes quando em contato com o doente ou portador, ao entrar em ambientes contaminados, ou ainda ao realizar procedimentos nestas pessoas. A transmissão pode ser por gotículas ou aerossóis. As gotículas têm tamanho maior que 5 µm e podem atingir a via respiratória subida, ou seja, mucosa das fossas nasais e mucosa da cavidade bucal. Nos aerossóis, as partículas são menores, permanecem suspensas no ar por longos períodos de tempo e, quando inaladas, podem penetrar mais profundamente no trato respiratório. O modo de proteção para cada tipo de transmissão é dissemelhante.

O protetor facial é um Equipamento de Proteção Individual que cria uma barreira mecânica impedindo que partículas sejam arremessadas contra o rosto do usuário quando alguém tossir ou espirrar. Ela não dispensa o uso complementar de Máscara Cirúrgica ou NR-95 conforme o caso.

O protetor facial FS-1 foi fabricado segundo os requisitos especificados na Solução RDC 356 de 23 de março de 2020 da Sucursal Pátrio de Vigilância Sanitária. Entre outros requisitos especificados estão o comprimento mínimo do escudo de 240mm, e largura mínimo do elástico de 10mm. Utiliza a técnica de sensação 3D para o suporte e galanteio laser para a viseira (escudo).

O protótipo foi submetido à validação da Diretoria de Saúde da Marinha, que realizou os testes no Hospital Naval Marcílio Dias, aprovando o resultado para uso.

Face Shield FS-2

O protetor facial FS-2 foi desenvolvido na tentativa de aumentar a produtividade, de forma a atender a grande demanda por protetores faciais. Optou-se por um protótipo de licença livre (open source) totalmente feito a partir do galanteio e dobradura do PETG, criado por pesquisadores da University of Cambridge e da University of Queensland. O CTecCFN fez alterações ao protótipo para que atendesse à Solução RDC 356 de 23 de março de 2020 da Sucursal Pátrio de Vigilância Sanitária. O protótipo desarranjado foi submetido à validação da Diretoria de Saúde da Marinha, que realizou os testes no Hospital Naval Marcílio Dias, aprovando o resultado para uso.

Máscara de Proteção Facial em TNT

Confeccionada de formato anatômico possuem três camadas de material sobrepostas com aperfeiçoamento e fechamento das extremidades por costura, sendo feita com traço branca nº120 e 12 pontos por polegada feita em máquina de costura industrial. O tecido em TNT utilizado, consiste no próprio elemento de barreira física, sendo formado por três camadas sobrepostas com as gramaturas de 16g/m² a 60g/m² de categoria externa, 20g/m² a 60g/m² de categoria média e 16g/m² a 60g/m² de categoria interna.

A máscara possui na secção frontal superior e subordinado 2 costuras retas feitas nas pense de 30 mm e 47 mm de comprimento para união do tecido em formato anatômico. Na secção superior é feita uma prega interna de 7 mm em todo comprimento para instalação do arame plastificado com PVC para sustentação com as mediadas de 0,5 mm de diâmetro por 120 de comprimento. Nas duas partes laterais é feita a costura do elástico de 10mm de largura por 0.5mm de espessura e 240 de comprimento na cor branca, no tecido TNT, fazendo a prega para secção interna de 10 mm. Na secção subordinado será feita uma costura em toda extensão do comprimento, a 3mm da borda subordinado.

Dimensões totais:
• Comprimento: 215 mm
• Largura: 156 mm
• Cor: Branca
• Gramatura: de 16g/m² a 60g/m² de categoria externa, 20g/m² a 60g/m² de categoria média e 16g/m²
a 60g/m² de categoria interna.

Dispositivo de Intubação Endotraqueal

O processo de realizar a intubação do paciente para que respire com o auxílio de aparelhos é extremamente invasivo e expõe o profissional de saúde a um cumeeira risco de contaminação. No intuito de reduzir esse risco o CTecCFN foi procurado pelo Departamento de Anestesia do Hospital Naval Marcílio Dias (HNMD) e pela Faculdade de Medicina da Universidade Iguaçu (UNIG), a término de desenvolver uma lâmina que permitisse o profissional ter a visão da traqueia sem aproximar seu rosto do paciente, utilizando para isso uma câmera tipo boroscópio, patível com sistema android e um smartphone ou tablet.

O protótipo “open source” desenvolvido pela empresa Airangelblade foi modificado pelo CTecCFN, a término de atender às demandas levantadas por ambas as instituições. A partir do protótipo impresso em 3D foi feito um molde para fundição em alumínio, que depois passou por um processo de usinagem. O resultado resultante apresentou boa qualidade dimensional e bom aperfeiçoamento, sendo enviado para a DSM para avaliação. O dispositivo encontra-se ilustrado na figura aquém.

Máscara não profissional

A máscara não profissional surgiu da urgência de um resultado não descartável para atender às tripulações das OM. Nesse sentido foi idealizada uma máscara em tecido misto de algodão e elastano ou coteline. A figura aquém ilustra a máscara não profissional.

Caixa de acrílico

A caixa de acrílico é uma barreira de proteção suplementar utilizada durante o procedimento de intubação endotraqueal pela equipe de anestesiologia e/ou intensivista. Ela consiste em um cubo de acrílico transparente projetado para entupir a cabeça do paciente e que incorpora duas portas elipsóides pelas quais as mãos do médico são passadas para executar o procedimento nas vias aéreas do paciente.

Kits hospitalares

Os kits hospitalares são compostos por leito, biombo, suporte para soro e escada. São fabricados em aço carbono e podem ser utilizados em hospitais regulares ou de campanha. O detalhamento de cada item é feito a seguir:

I – Leito Hospitalar

Dimensões: 1,90m de comprimento, por 0,80m de largura, por 0,80m de profundeza, com grades removíveis nas laterais e cabeceira reclinável. Resultado feito em aço 1020.

II – Biombo Hospitalar

Dimensões: 1,20m de largura, por 1,69m de profundeza. Resultado feito em metalon 1/8” e tecido cordura virente musgo.

III – Suporte de Soro Hospitalar

Dimensões: 1,90m de profundeza e base 0,30mX0,30m. Resultado feito em aço 1020

IV – Escada Hospitalar de 2 degraus

Dimensões: 0,40m de largura por 0,40 de profundeza por 0,45m de comprimento. Resultado feito em barra
de aço 1020 e placa de aço antiderrapante.

Câmera de pressão negativa

Durante uma pandemia, a demanda por salas de isolamento de aerossóis potencialmente infecciosos pode ultrapassar sua disponibilidade. Quando isso ocorre, os estabelecimentos de saúde podem optar por usar sistemas de ventiladores portáteis com filtragem de subida eficiência de partículas do ar (HEPA, do inglês High Efficiency Particulate Air), com o intuito de aumentar a capacidade de isolamento em um variedade de ambientes dos quartos de pacientes tradicionais às estações de triagem. Cabe ressaltar que não se trata de sistema de filtragem em si, mas sim um sistema de recepção de ar para uma unidade de ventilador/filtro de partículas de ar de subida eficiência (HEPA) correspondente.

O Instituto Pátrio de Segurança e Saúde Ocupacional estadunidense (NIOSH) desenvolveu e testou a câmara de pressão negativa ilustradas aquém com madeira e suprimentos encontrados em lojas de ferragens. O CTecCFN encontra-se avaliando, em conjunto com o HNMD, a viabilidade de implantação de dispositivos, similares aos ilustrados aquém, naquele Hospital:

Regulador de máscara cirúrgica

Em caráter experimental, está sendo produzido um regulador de máscara cirúrgica a término de evitar que os elásticos da máscara cirúrgica pressionem as orelhas do usuário causando desconforto.

O regulador está ilustrado aquém.

Respirador mecânico

O CtecCFN está mantendo contato com os organizadores do grupo Breath4life Project que está trabalhando em um ventilador mecânico de insignificante dispêndio e fácil replicação em sensação 3D pura ou híbrida com peças usinadas, inspirado no idoso respirador Takaoka Mini Ventilador 600, para auxílio no transporte intra e extra hospitalar e uso em beira-leito de paciente no enfrentamento à pandemina COVID19. O grupo já demonstrou interesse em formar uma parceria com as Forças Armadas para que o projeto seja expandido para todo o Brasil.

FONTE: Núcleo Tecnológico do Corpo de Fuzileiros Navais

Por , em 2020-04-23 13:31:00


Nascente www.defesaaereanaval.com.br



Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero. Clicando agora você ganha mini kit gratuito para imprimir + aula grátis.

Deixe um comentário