Durante isolamento, importante ficar atento aos sinais de ansiedade – [Blog da Solange Pereira]

Com o distanciamento social, falta de conviv
Com o distanciamento social, falta de convivncia leva pessoas a desenvolver sofreguidão por no ter vida normal (foto: Tulio Santos/EM/D.A Press – 16/1/15)

De pacto com a Organizao Mundial da Sade (OMS), o isolamento social a melhor maneira de se achatar a curva de infeco pelo novo coronavrus e evitar um colapso no sistema de sade. Mas aquilo que soluo , tambm, problema. Enfim, porquê evitar que a recolhimento dentro de mansão no seja a porta ensejo para um mal generalidade nesses dias de pandemia — a sofreguidão.

A fotgrafa Rassa Maria de Melo, 22 anos, moradora de Padre Bernardo (GO), tem encontrado dificuldades para trabalhar durante a quarentena. Autnoma, faz ensaios fotogrficos e, por razão do isolamento, ficou impossibilitada de atender a clientela. Isso, segundo ela, somado a outras preocupaes, a fez desenvolver sofreguidão.

“A vida de muitos parou, inclusive a minha. Uma vez que ainda sou autnoma, as coisas esto mais difceis, e isso abala meu psicolgico com sofreguidão, cobranas internas e externas”, explica. Ela tambm relata que tem dormido mal e enfrentado dias cansativos.

A arquiteta e urbanista Nara Rodrigues, 24, sofre de sofreguidão h tapume de cinco anos. Chegou a fazer um tratamento contra o transtorno, mas o interrompeu. Recentemente, deixou de usar remdios que controlam o problema. Com o incio da pandemia e as notcias sobre o avano do coronavrus apareceram os “gatilhos” para crises.

“Senti que minhas emoes ficaram mais afloradas. Passei a procrastinar tudo. No consegui fazer coisas simples da rotina, porquê manducar ou levantar da leito para ir at a sala de estar. Isso me afetou muito. Com o passar do tempo, fui me adaptando, lendo menos notcias, tentando ocupar minha mente. Tenho algumas recadas porque no d para ignorar o que est acontecendo. A gente no pode parar de seguir o que est ocorrendo”, diz.

Cabea ocupada

Para tentarevitar futuras crises de sofreguidão, Nara passa seu tempo trabalhando em projetos e praticar hobbies, e acompanha dicas de profissionais de sade pela internet. Ela conta que a convivncia com os pais necessário, pois eles a tranquilizam.

“Quando no possvel evitar (as crises), tento fazer o controle da minha respirao e mantenho meus pais por perto. Eles me ajudam muito a mourejar com tudo isso. Alm disso, tento fazer atividades fsicas, ler, observar a filmes e sries, e voltei a praticar antigos hobbies, porquê riscar e trabalhar com artesanato”, observa.

J a estudante de farmcia Isabella Silva, 23, faz séquito psicolgico e psiquitrico para tratar um transtorno de sofreguidão generalizada e depresso. Est respeitando o isolamento social porque mora com os avs, e um de seus irmos tem asma –– portanto, esto no grupo de risco do novo coronavrus. Isabella conta que tem problemas para permanecer em mansão, pois, naturalmente, tem hábito de passar muito tempo fora.

“Permanecer em mansão me deixava muito estressada. Eu preciso estar na rua, preciso ver gente, conversar; preciso disso. Sempre fui uma pessoa ocupada, e isso me deixava mais tranquila. Quando tive que permanecer em mansão, por razão da quarentena, foi terrível”, relata.

Isabella conta que, depois do choque inicial, aprendeu a mourejar com a situao. Ela continua tendo sesses com uma psicloga, semanalmente. Entre as recomendaes feitas pela profissional a ela, est manter uma rotina e sempre se manter ocupada.

“ Tenho feito atividades com a minha famlia e acho que estamos lidando de forma melhor com a quarentena. No significa que no estou tendo crises, mas muito mais fracas. Eu tento me manter otimista de que as coisas vo melhorar”, afirma Isabella.

Crises depressivas fazem segmento da rotina. Identific-las e evit-las so suas principais dificuldades, tratadas junto psicloga. Quando aparecem, a soluo ocupar a cabea com coisas que trazem conforto.

“Quando percebo que minhas crises comeam, vou ficando mais agitada e mais ansiosa. Procuro observar a um filme que palato e que me passa conforto. Procuro fazer alguma atividade que me tira daquele foco. Ouo msica, fao exerccios fsicos. s vezes, fao uma atividade fsica intensa em mansão, subindo e descendo escadas, at cansar”, salienta.

Para mourejar com o isolamento, Isabella diz que manter um pensamento de ininterrupção da vida ps-pandemia tambm importante.

A procura pelo alvio manifesto 

O mdico psiquiatra Leonardo Moreira, rabi pela Universidade Federalista do Rio Grande do Sul em preveno e assistncia a usurios de lcool e outras drogas e doutorando em biotica pela Universidade do Porto, em Portugal, explica que a sofreguidão uma reao normal no atual perodo. O problema porquê a pessoa vai buscar alvio para a situao.

“Na sade mental, o isolamento j traz um agravamento grande da sofreguidão. Muitas vezes o alvio pode no vir por meio da atividade fsica. Nesse caso, muitas pessoas recorrem comida, ao lcool, ao tabaco ou mesmo em  outro tipo de droga, que acaba trazendo mais prejuzo para a sade mental”, explica.

Segundo Leonardo, um dos mais evidentes sinais de alerta so as mudanas bruscas de comportamento que as pessoas apresentam. “Assim porquê se estivesse fora da pandemia, o sinal de alerta uma mudana abrupta para um pouco muito dissemelhante do que a pessoa . Nesse momento, normal a pessoa transpor do seu procedente e permanecer mais ansiosa”, adverte.

O mdico alerta que dois fatores biolgicos acabam sendo facilmente alterados no perodo o sono e a alimentao. “Dormir em horrios diferentes alteraes no gosto so sinais de alerta”, aponta, salientando que o isolamento ainda dificulta o atendimento mdico. 

  

* Estagirios sob a superviso de Fabio Grecchi

Por , em 2020-04-22 06:03:11


Manancial www.correiobraziliense.com.br



Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero. Clicando agora você ganha mini kit gratuito para imprimir + aula grátis.

Deixe um comentário