TOPNEWS – Aqui voc tem mais contedo! – [Blog da Solange Pereira]

A pouco mais de 200 km de Cuiab, Rondonpolis, alm de possuir o segundo maior Resultado Interno Bruto (PIB) do estado, tem o privilgio de zelar o territrio de seus fundadores, e de tantas outras cidades vizinhas – estamos falando dos ndios Bo Bororo.

Ser Bororo

Hoje, com uma populao aproximada de dois milénio ndios, os Bororos so fortemente representados nos municpios Rondonpolis, Santo Antnio de Leverger, Poxoru, e at mesmo no Pantanal, destacando-se pelo siso de organizao, pelo domnio na arte da caa, pesca e plantio, assim uma vez que pela facilidade de adaptarem-se ao novo, sem todavia, desprezarem suas razes. Terras reconhecidas e pacificadas por Marechal Rondon, at pouco tempo sobreps ao seu povo o mister sacrifcio de lutar pela manuteno de sua posse.

Rico em cultura, o funeral dos Bororo o ritual mais multíplice j visto. Com durao que chega a trs meses, todas as aldeias participam, de modo que a atividade somente se encerra aps a dana do Pele da Ona, onde membros da famlia caam o felino para oferecer psique daquele que se foi. Psique que habitar um outro bicho da floresta.

A diviso dos cls e sub cls outro ponto marcante e enigmtico, vivido intensamente por esses indgenas. Da autorizao de matrimnio assuno de funo na povoação, depender do cl a que pertence.

Ser Bororo entender que a terreno no somente o lugar em que o ndio mora, mas sim, o elemento meão da religio e da identidade cultural, recebida de seus ancestrais.

Manter as tradies, frente s dificuldades, ponto de honra para esse povo que vem encontrando na atividade turstica a sada para suprir as necessidades bsicas das comunidades.

Turismo

O turismo em suplente indgena vem crescendo a todo vapor, atrado pelos encantos das paisagens, pelo estilo ntimo com a natureza, atravs do artesanato, das danas, crenas e rituais.

um setor rico de oportunidade, onde instituies pblicas e privadas esto se capacitando para atuar, num horizonte muito prximo.

Sob a tica da trilogia da conservao x sustentabilidade e gerao de recursos, Mato Grosso vem precedendo com projetos tursticos em diversas reas indgenas, proporcionando s comunidades oportunidade de serviço sítio, qualidade de vida e estmulo para a conservao de suas razes.

Mais do que um passeio, a visitante a uma comunidade indgena proporciona ao turista um novo olhar [dessa vez despido de preconceito] do que ser ndio.

O etnoturismo – uma vez que vem sendo chamado, recebe o escora do Governo Federalista, que incentiva o uso dos recursos das Terras Indgenas em prol dos mesmos, ressaltando porm, a preocupao em cometer o menor dano natureza, somada a no interferncia na identidade cultural do povo visitado.

Normatizao

Na mesma risco de incentivo, promovendopolticasvoltadas aodesenvolvimento sustentveldas populaes indgenas, a Fundao Vernáculo do ndio (FUNAI) lanou uma Instruo Normativa em 2015 (IS Nr 03/2015), estabelecendo as normas e diretrizes relativas s atividades de visitao para fins tursticos em Terras Indgenas de todo o territrio pátrio. O objetivo da norma visa definir parmetros para a efetiva prestao de servio ao pblico, de maneira segura e responsvel. Ressalta-se que, por ocasio da criao do Projecto de Visitao, o mesmo deve ser desenvolvido exclusivamente pelos indgenas interessados, fundamentado no princpio do mnimo de impacto ambiental e da rotina procedente daquele povo.

Aes e empreendimentos

Ainda que vivendo no momento pandmico viral, os trabalhos para a efetivao do etnoturismo no pararam. No ltimo dia 05 de maro, Rondonpolis sediou um evento com a temtica direcionada implantao do turismo nas terras do povo Bororo. O encontro contou com a participao de diversos representantes dos setores pblico, privado, e simples, das lideranas indgenas. Na ocasio, instituies do setor financeiro ofereceram oportunidade de emprstimo com pouca burocracia.

Localizao

Cortadas pelo rio Vermelho, as Terras Indgenas Jarudore, Tadarimana e Tereza Cristina possuem aldeias preservadas pelo toque da natureza, com cachoeiras, piscinas naturais, cavernas, falsias e animais de vrias espcies, refgio ideal para quem procura uma experincia longe da vida agitada da sociedade consumista. Regido pela lei da natureza e pela cadncia dos ciclos do rio e dos animais, j de incio, os visitantes aprendem que o tempo do relgio no coincide com o tempo que os ndios vivem.

A equipe daPrimeira Manadeira de Notcias, foi at a morada do traje para descrever com respaldo. Na Terreno Indgena Tadarimana, onde ainda se preserva o posto telegrfico de Marechal Rondon, respira-se tradio e trabalho. reas tomadas pela cultura familiar ornamentam as oito aldeias, enquanto o rio encachoeirado convida o visitante prtica de esportes radicais. “Nosso maior patrimnio a lngua, que continua sendo falada pelos novos e velhos”, segundo o Cacique universal Bosco Arquimedes Marido Kurireu. “Implantar o turismo nas aldeias, para ns, ganha branco e ganha ndio”, completou o cacique.

Cortada pelo rio Vermelho, a Terreno Indgena Tereza Cristina est localizada na cidade Santo Antnio de Leverger/MT, mas sofre influncia econmica de Rondonpolis. Um pouco mais isolada, possui quatro aldeias, duas de cada lado do rio. Povo simptico e hospitaleiro, costuma receber os visitantes com seus artesanatos e histria da origem dos Bororo. Na povoação Gomes Carneiro dar-se palato em ver os projetos em desenvolvimento e a “moradia dos homens”, sítio sagrado, onde proibido o entrada de mulheres. Ao final da visitante fomos surpreendidos com um almoo tradicional.

A suplente Jarudore, localizada em Poxoru/MT, vizinha de Rondonpolis, possui somente uma povoação, chefiada pela cacica Maria Aparecida Ekureudo (Doca). Alm dos ensinamentos da cacica Doca, das cachoeiras de guas quentes e cristalinas, andando pelas trilhas, pode-se contemplar as esculturas talhadas pela natureza nas rochas de arenito, copioso no sítio.

Seguindo o serpenteado do rio Vermelho, at entrar no So Loureno, no corao do Pantanal, encontramos os Bororo da Terreno Indgena Perigara, que merecem comentrios secção. Tomada pelo bioma do pantanal, a nica povoação – tambm chamada Perigara, convive harmoniosamente com a fauna e a flora. sítio patente para enxergar ona pintada, jacar, pssaros de infinitas espcies e saborear o inconfundvel peixe pintado.

Ainda no Pantanal mato-grossense, o turista tem o prazer de percorrer a recente rea indgena, homologada pelo Governo Federalista – Baa dos Guat, formada por ndios de cultura e tradio mpar, conservadores do sotaque sítio, que a tarar de terem sido quase dizimados, por ocupantes de suas terras, cumprimentam suas visitas com uma mo, e com a outra, oferecem o tradicional terer, mostrando assim, o tamanho de sua simpatia. Carlos Henrique Guat, est frente do projeto Avistamento de Ona Pintada, que de maneira harmoniosa, acompanha os rastros do bicho, que possui um esturro caracterstico, confirmado por nossa equipe. Carlinhos afirma que muito geral a presena de turistas pela regio, em razo das pousadas que ficam na outra margem do rio, fora de rea indgena. Distribudos em duas aldeias, os Guat so exmios artesos de olaria e conhecem os embrenhados do Pantanal uma vez que ningum.

Agncias de turismo esto de olho no Projecto de Visitao dessas terras indgenas, que visa unir a gerao de renda para as comunidades e a oportunidade de todos conhecerem o santurio preservado.

O etnoturismo, uma vez que prtica cada vez mais geral por todo pas, vem mostrando sociedade formas alternativas de trabalho sustentvel para gerao de renda.



Por , em 2020-04-20 12:56:00


Manadeira www.topnews.com.br



Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero. Clicando agora você ganha mini kit gratuito para imprimir + aula grátis.

Deixe um comentário