Diário de Petrópolis – [Blog da Solange Pereira]




Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero – entrando agora ganhe Moldes grátis para imprimir + aula de teste.

Edição:
segunda-feira, 13 de abril de 2020

Edição: segunda-feira, 13 de abril de 2020


  Covid-19

Camila Caetano – privativo para o Quotidiano


 Atualmente, a população mundial enfrenta uma pandemia causada pelo novo coronavírus, que já infectou aproximadamente 1,6 milhão de pessoas pelo mundo. Isto se deve a sua fácil propagação, que, segundo a Organização Mundial da Saúde, o vírus originador da covid-19 é transmitido principalmente por contato com gotículas respiratórias, mais do que pelo ar. Estas gotas, lançadas por uma pessoa infectada ao tossir, respirar ou falar, aterrissam rapidamente sobre os objetos do entorno, onde são recolhidas pelas mãos por outras pessoas, que se contagiam ao tocar os próprios olhos, nariz ou boca, por isso, é tão importante fazer o uso das medidas preventivas porquê o álcool em gel, e as máscaras de proteção.

A demanda por essas medidas protetoras aumentou absurdamente, fazendo com que as empresas especialistas em fabricá-las enfrentassem dificuldades para suprir as quantidades necessárias. Sendo assim, neste momento de isolamento social, algumas costureiras estão fazendo uso dos tecidos que têm em morada e produzindo algumas máscaras para comercialização, porquê é o caso de Dafne, Ludmila, Teresinha e Marlene.

Dafne Souza conta que primeiramente, começou a fazer máscaras para ela mesma. Mas depois, ao ver quantidade de tecidos que tinha em seu atelier, decidiu fazer segmento desse movimento de ajuda e proteção e começou a produzir máscaras anatômicas com preços acessíveis, outrossim, esta foi a forma que ela encontrou de manter seu negócio funcionando durante oriente período de isolamento social

-Quando vimos a quantidade de tecidos que tínhamos, sabíamos que não poderíamos fazer alguma coisa somente para nós, é um momento de olhar ao volta e entender as necessidades da comunidade. Sendo assim, desenvolvemos nossa própria modelagem, pois sentimos que as que estavam disponíveis na internet não se encaixavam perfeitamente ao rosto ou não protegiam exatamente porquê a OMS pedia – diz Dafne, que continua:- também queríamos fazer alguma coisa que pudesse conversar com a roupa em si, se tornando de veste um secundário, e não somente um item de proteção. Logo, estamos produzindo de forma barata e com qualidade, seguindo as exigências da OMS – complementou.

Dafne ainda conta que estão fazendo entregas somente em Petrópolis e a partir de cinco máscaras, pois os fretes são realizados por um motoboy, para evitar o contato o supremo provável. Outras informações disponíveis em seu perfil no Instagram (@atelier_dafne_souza), no Facebook (Dafne Souza) ou mesmo, no WhatsApp, pelo número (21) 98291-3268.

Já Ludmila Costa conta que há muito tempo trabalha com confecção, mas a teoria de estrear a fazer máscaras para vender surgiu, pois sua amiga que é professora, precisava de uma para dar lição para seu aluno privativo.

-Desde que minha amiga me encomendou uma, estou fazendo máscaras de diversos tecidos e camadas que variam de combinação com os pedidos dos clientes. Estou recebendo muitas encomendas, nesses últimos treze dias eu fiz 430 máscaras – diz Ludmila. Que complementa:- estou fazendo as máscaras cirúrgicas e a máscara que se adequa mais ao formato do rosto, que estou chamando de coquinho – conclui Ludmila.

Aos interessados, basta entrar em contato com Ludmila pelo WhatsApp (22) 98851-3922, pelo seu perfil no Instagram (@ludicoisasdaludi), ou ainda, acessar sua página no Facebook, (Coisas da Ludi).

Teresinha Alves também é uma das costureiras que está produzindo máscaras nesse período. Ela diz que a teoria surgiu em um grupo de WhatsApp, quando uma médica relatou que os profissionais de saúde estavam enfrentando dificuldades para encontrá-las até mesmo nas farmácias. Aliás, a vontade de fazer o muito ao próximo também foi uma das coisas que a incentivou a dar início à produção.

-A princípio fiz as máscaras para atender a premência da vizinhança, e a partir daí comecei a receber muitos pedidos. Aliás, também estou fazendo algumas doações aos profissionais que estão na traço de frente do enfrentamento ao vírus, e também, às pessoas que não têm requisito de comprá-las – diz Teresinha. Ela completa:- quando tenho que ir ao mercado, levo uma bolsinha com algumas máscaras para doar para as pessoas que necessitam, com o intuito de conscientizá-las e partilhar paixão, pois nesse momento um deve cuidar do outro – finaliza.

Para encomendar as máscaras com Teresinha, basta entrar em contato com ela pelo número (24) 99259-4988.

Por último, Marlene Mariano conta que passou boa segmento da sua vida trabalhando com costura e confecção. No entanto, começou a produzir máscaras para atender aos pedidos de suas clientes.

-Trabalho com costura há muito tempo, e ao longo dos anos fui cultivando bastantes clientes. Com a pandemia que surgiu, elas começaram a me pedir para fazer máscaras – diz Marlene, que salienta:- está sendo ótimo, tenho feito as máscaras no estilo cirúrgico, que cobre o rosto quase todo, seguindo ou não o seu formato – conta.

Para quem deseja encomendar as máscaras com ela, basta entrar em contato pelo número (24) 98808-2938, ou ainda pelo seu perfil no Facebook (Marlene Mariano).

Edição:
segunda-feira, 13 de abril de 2020

Edição: segunda-feira, 13 de abril de 2020


Por , em 2020-04-13 16:07:09


Manadeira www.diariodepetropolis.com.br



Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero. Clicando agora você ganha mini kit gratuito para imprimir + aula grátis.

Deixe um comentário