Coronavrus: redes ‘invisveis’ ampliam aes de solidariedade em BH – Gerais – [Blog da Solange Pereira]




Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero – entrando agora ganhe Moldes grátis para imprimir + aula de teste.

Com a ajuda de v
Com a ajuda de vrias pessoas, Brenda j costurou mais de 100 mscaras para doar (foto: Registo pessoal/ divulgao)

Flvia Henriques ajudava Brenda, que ajudava Maria Lucia, que ajudava todo mundo a se proteger em tempos de pandemia. Em meados de maro, a produtora cultural e jornalista Brenda Silveira, de 56 anos, e o fruto comearam a tolerar sintomas que poderiam ser da COVID-19. Eles foram ao hospital e os mdicos recomendaram que voltassem para moradia. Sem confirmar se estavam positivos para a doena, adotaram as medidas de autoisolamento domiciliar: cada um no seu quarto. Eles moram em uma moradia, no Bairro de Lourdes, na Regio Núcleo-Sul. Com isso, Brenda sentiu que precisaria de um tanto para ocupar o seu tempo e transformou o seu escritrio em um atelier. Mais do que isso, partiu para uma ao solidria.

Ela resgatou sua relao com a costura e decidiu por ajudar e fazer mscaras de proteo a grupos vulnerveis. Para isso, precisava de trs materiais: tecido, elstico e risca. Ela no tinha nenhum dos itens. Foi quando uma rede quase  invisvel se formou organicamente para que os itens ficassem prontos e uma centena de pessoas pudesse se proteger. As doaes, inicialmente, seriam por meio de pedidos via rede social, porquê o Facebook.

Brenda Silveira pegou emprestada a mquina de costura na moradia da me, Maria Auxiliadora da Silveira. Assim, resgatou o sabor que tinha por costura e encomendou pela internet tecidos para produzir qualquer tipo de artesanato: “Eu gostava muito de costurar. Costurava e fazia minhas prprias roupas quando jovem”, recorda.

No momento em que o Ministrio da Sade anunciou que mscaras caseiras poderiam ajudar na preveno contra o coronavrus, Brenda mudou os planos e decidiu se destinar a esse tipo de produo. Depois de prontos, esses itens essenciais seriam doados.

Post no Facebook de Brenda conta sobre os bastidores (foto: Redes sociais/ reprodu
Post no Facebook de Brenda conta sobre os bastidores (foto: Redes sociais/ reproduo)

Logo, o primeiro problema: “Encomendei tecidos para chegarem em 10 de abril. Mas no chegaram e postei na internet que eu ia fazer mscaras para doar e aguardava pelos tecidos”, contou a produtora cultural. Sem tecido, a Flvia Henriques se prontificou em ajud-la. Flvia artes, trabalha com patchwork – trabalho com retalhos – e disse que poderia doar o material. “Ela me procurou e disse que teria tecidos e elsticos para me doar. Ela mora perto de mim e eu fui buscar. Os tecidos eram lindos, muito coloridos. Eu achei muito legítimo”, relata.

Foi com esses materiais que ela fez os primeiros modelos para a famlia e, logo que pegou a prtica, produziu as 100 primeiras mscaras. Todas para serem doadas, sendo que ela estipulou duas por pessoa.

Brenda contou sobre a sua produo de mscaras para Fernando Aguiar. Ele era o motoboy que estava fazendo as compras de supermercado para ela nesses tempos em que ela havia se só por razão dos sintomas gripais. “Logo, ele me disse: ‘eu vou precisar de mscaras. Preciso usar vrias durante o dia, pois trabalho na rua’”, contou Brenda. Porm, aps a produo da primeira leva, o elstico se esgotou. ” um cenrio de guerra e alguns produtos somem da prateleira. No estamos achando elstico no mercado”, acrescentou Brenda.

Por sorte, Fernando estava – por outros motivos – circulando pela Regio do Barroca e avistou um armarinho cândido. O motoboy se lembrou de Brenda: “Ele me ligou e disse que tinha descoberta o elstico”, comemorou. Assim, comprou dez metros para que a Brenda continuasse fazendo as mscaras. Paralelamente, uma loja, a Masa Aviamentos, tambm se solidarizou e abriu o estabelecimento na Serra, na Regio Núcleo-Sul de Belo Horizonte, exclusivamente para vender elstico e risca.

Brenda faz do escrit
Brenda faz do escritrio o seu ateli (foto: Registo pessoal/ divulgao )

Em seguida, Brenda soube que uma amiga, que professora de artes, Maria Lucia Caetano Bicalho, tambm havia ganhado tecidos de uma vizinha e estava fazendo mscaras para doar. E o que lhe faltava? Justamente o elstico. “Ela ganhou tecidos da vizinha, mas tambm estava sem elsticos. No sbado, eu prometi doar o elstico comprado pelo Fernando. Pedi a ele que levasse da minha moradia at o Bairro Cruzeiro, na Regio Núcleo Sul de Belo Horizonte. Perguntei a ele quanto ele cobrava para a entrega. Mas logo ele disse que zero, pois estvamos todos ajudando”, contou.

Troca-troca

E assim, por meio de ajuda mtua e renncia coletiva, um item que se tornou to forçoso est sendo produzido e com isso, ajudando centenas de pessoas na capital mineira a se proteger do vrus. H quem entre em contato com uma empresa de confeco para pedir doao de risca. H quem  tenha sado no domingo de Pscoa pelo bairro onde mora para procurar um armarinho cândido. H quem ligeiro seis mscaras da Brenda, mas deixa tecido para a produo de outras.

J houve at mscaras trocadas por incisão de cabelo. “Uma amiga, que tambm jornalista, me disse que uma amiga dela cabeleireira e no tem mscara. Ela pediu duas mscaras e disse que vai te dar um incisão de cabelo”, contou Brenda. Ah! e tambm houve mscara trocada por lasanha. “Conheo a Lcia h 28 anos. Mas havia muito tempo que ns no nos falvamos. Ficou feliz por mandar o elstico. Em troca, pedia que fizesse uma das suas lasanhas maravilhosas”, brincou.

Brenda enxerga afeto que na formao dessa rede, que vem se ampliando dia a dia. “Est todo mundo se envolvendo. Todo mundo se ajudando”, disse. 

O resultado

A psicloga Ana Carolina Ribeiro, de 40 anos, foi uma das pessoas que receberam as mscaras feitas por Brenda e uma dezena de pessoas. Ela recebeu seis, sendo duas para ela, duas para o companheiro e duas para o fruto. “Quando entramos em confinamento, Brenda foi umas das primeiras pessoas que publicou em suas redes que estava fazendo mscaras para doao aos amigos e tambm para quem precisasse. Uma atitude de quem sabe que a solidariedade o mais importante e sem ela no podemos transpor juntos disso tudo”, disse.

Todos de moradia gostaram do resultado. “Essa rede solidria com tantos desejos de carinho e proteo ao prximo imprime na pea uma fardo energtica do muito, da tranquilidade e do paixão! Espero que possamos aprender a lio que essas pessoas, porquê a Brenda, nos ensinam”, disse.  

A rede que culminou nas mscaras de Brenda a inspirou a tentar fazer um tanto também solidrio. “Estamos pensando em fazer atendimento teraputico, via apps. Estamos pesquisando porquê se daria esse formato”, adianta.

Por , em 2020-04-13 18:01:06


Natividade www.em.com.br



Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero. Clicando agora você ganha mini kit gratuito para imprimir + aula grátis.

Deixe um comentário