Com ateliês fechados, costureiras obtêm renda com máscaras de tecido em Ribeirão Preto | Ribeirão Preto e Franca – [Blog da Solange Pereira]




Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero – entrando agora ganhe Moldes grátis para imprimir + aula de teste.

Sem clientes nos ateliês por justificação da pandemia do novo coronavírus, costureiras de Ribeirão Preto (SP) conseguiram enxergar na dificuldade econômica uma oportunidade de lucrar moeda. Com a falta de máscaras no mercado, elas passaram a produzi-las em tecido e ajudam a população a alongar o risco de infecção.

A modista Vanda Cordeiro Rodovalho trabalha com a confecção de roupas infantis e faz consertos. Na semana passada, ela começou a fazer máscaras depois que o Ministério da Saúde recomendou o uso do secundário rendeiro à população. O governo divulgou um manual com orientações para a confecção.

Vanda estima que já tenha vendido murado de 300 itens a R$ 6 cada. A produção continua e o moeda que entra ajuda a remunerar as despesas da moradia. “Não substitui não, mas ajuda bastante. A gente fechou de uma hora pra outra, e não teve jeito de fazer mais zero”, diz.

A costureira Vanda Cordeiro Rodovalho produz máscaras de tecido em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTVA costureira Vanda Cordeiro Rodovalho produz máscaras de tecido em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTV

A modista Vanda Cordeiro Rodovalho produz máscaras de tecido em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTV

Nas últimas semanas, a produção caseira de máscaras deu refrigério também às lojas que vendem tecidos. Gerente de um dos estabelecimentos no bairro Campos Elíseos, Gislene Moreira estima que a loja tenha perdido um terço do volume de vendas desde março.

Todos os tecidos destinados à confecção de roupas estão parados, ao contrário do que acontece com materiais feitos com algodão e com o elástico, matérias-primas para a produção.

Gislene explica que o atendimento é feito unicamente por telefone e pelas redes sociais. Na segunda-feira (6), foram entregues murado de 130 pedidos.

“É porquê se fosse uma esperança. A gente já tinha o material em estoque e foi o que a gente conseguiu fazer. A gente tem a esperança de que nesta semana consigamos vender o necessário para manter a loja”, diz a gerente.

Gislene Moreira é gerente de loja de tecidos em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTVGislene Moreira é gerente de loja de tecidos em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTV

Gislene Moreira é gerente de loja de tecidos em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTV

Desde sexta-feira (3), a modista Poliane Portella precisou comprar tecido por duas vezes para atender a demanda. Ela calcula que o volume de encomendas de roupas tenha derrubado 90%, desde que começou a trabalhar há um ano.

Por outro lado, o caderno está referto de encomendas do resultado importante no combate ao novo coronavírus. Poliane vende cada máscara a R$ 5, das quais valor ela considera ser atingível a quem mais precisa.

“Nessa crise que a gente está vivendo, não adianta eu querer colocar um preço muito sobranceiro, sendo que muita gente está sem serviço e não vai ter condições de comprar. Portanto coloquei o preço mais insignificante para todo mundo se proteger.”

A costureira Poliane Portella vende máscara caseira a R$ 5 em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTVA costureira Poliane Portella vende máscara caseira a R$ 5 em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTV

A modista Poliane Portella vende máscara caseira a R$ 5 em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTV

Por , em 2020-04-08 06:28:00


Nascente g1.orbe.com



Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero. Clicando agora você ganha mini kit gratuito para imprimir + aula grátis.

Deixe um comentário