Vizinhas trocam máscaras por alimentos em condomínio na Grande SP – [Blog da Solange Pereira]




Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero – entrando agora ganhe Moldes grátis para imprimir + aula de teste.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O distanciamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus e a urgência de alguns vizinhos fez despertar a solidariedade em um grupo de moradoras de um condomínio em Diadema (ABC). Mesmo sem saber costurar, elas confeccionaram mais de 200 máscaras de tecido que foram trocadas por mantimentos que serão distribuídos a famílias do próprio prédio onde moram.

A confecção de máscaras de tecido foram liberadas pelo Ministério da Saúde na quinta-feira (2) pois funcionam porquê uma barreira física para moderar a pandemia do novo coronavírus.

Tudo começou há duas semanas quando a exegeta de benefícios Estelamaris Novaes, 36 anos, começou a recolher mantimentos. Era uma forma de ajudar os vizinhos que vendiam seus produtos e serviços na feira do condomínio, que está suspensa devido à quarentena.

Em outra frente de solidariedade, a autônoma Maria Aparecida Silva Souza, a Bel, 36 anos, teve a teoria de fazer máscaras com sobras de tecidos que tinha em morada para, inicialmente, oferecer aos funcionários do condomínio que estavam trabalhando sem a proteção.

“Porquê eu não tenho máquina de costura e não sei costurar, fiz com cola quente e mostrei para a Estela para ver o que ela achava da teoria de doar para os funcionários. Foi quando ela sugeriu de fazermos para trocar por mantimentos”, afirmou Bel.

Estela até tinha a máquina de costura que poderia facilitar a confecção das máscaras, mas também não sabia costurar. “Eu ganhei a máquina de presente em dezembro. Estou aprendendo [a costurar] vendo vídeos na internet”, disse Estela, que topou na hora a teoria da vizinha.

Na sexta-feira (3) elas anunciaram no grupo de WhatsApp do condomínio que a partir do dia seguinte as máscaras já poderiam ser trocadas por mantimentos no salão de festas. E para aumentar a produção, contaram com o esteio da turismóloga Flávia Teodoro Rodrigues, 35 anos, que também não sabe costurar, mas decidiu ajudar. “Eu tenho transtorno de impaciência e estava angustiada em morada. Para mim, poder ajudar foi porquê uma terapia”, afirmou.

As vizinhas ainda não contaram quanto arrecadaram de mantimentos, mas esperam ajudar ao menos nove famílias que perderam o trabalho ou a renda por conta da pandemia. As cestas básicas serão distribuídas ao longo da semana. Até lá, ainda é provável doar.

Porquê você avalia o teor que acabou ler?

Por , em 2020-04-06 12:15:00


Manadeira www.folhadelondrina.com.br



Clique aqui e saiba mais sobre o Super Kit de Moldes + Curso de Costura do Zero. Clicando agora você ganha mini kit gratuito para imprimir + aula grátis.

Deixe um comentário